Historial

A Associação de Proteção à Rapariga foi fundada, em Faro, em 1934, por um grupo de senhoras da cidade, entre as quais Teresa Ramalho Ortigão, e presta apoio social a jovens de todo o Algarve desde então. Criaram uma rede de contactos a nível do distrito, tendo para isso pessoas de referência em várias cidades e vilas. Estas pessoas sinalizavam raparigas carenciadas, vítimas de doenças ou com outras dificuldades, procurando dar-lhes o encaminhamento social adequado.

Na época os apoios sociais passavam pelo acolhimento temporário, pela realização de enxovais para bebés e de casamento, procura de emprego para empregadas domésticas e procura de resposta ao nível da saúde.

Mais tarde, veio a evoluir para um Lar de Estudantes, para jovens de classe média alta e que também apoiava jovens carenciadas que tinham que se deslocar da sua área de residência para prosseguir estudos

As primeiras instalações foram na Rua Álvaro Sotto Maior. Posteriormente, mudaram-se para a Rua do Compromisso, em seguida teve sede na rua Serpa Pinto.

Em 1997, e após um período de decadência, esta Associação inicia uma nova fase na sua vida retomando o dinamismo que a havia caracterizado anteriormente.

Em Abril de 2007, foram concluídas as instalações do actual Centro de Acolhimento, cuja construção se havia iniciado em Janeiro de 2001, após concurso público.

A inauguração foi a 10 de Agosto, do mesmo ano, já com o Centro de Acolhimento Temporário em funcionamento desde o dia 1 de Junho de 2007.

A obra foi financiada, conforme previsto em Acordo de Cooperação, a 65% pela Segurança Social, 25% pela Câmara Municipal de Faro, que também cedeu o terreno, e 10% são da responsabilidade da Associação.

O Técnico responsável pelo projecto de arquitectura é o Arquitecto António Santos. Os projectos das especialidades são da responsabilidade do Gabinete de Apoio Técnico de Faro.

A Empresa José Quintino é responsável pela construção.